PF diz que sistema de propina da Odebrecht não tem menções sobre em Atibaia


Peritos da Polícia Federal (PF) afirmam que, em novo laudo divulgado nesta quarta (16), não encontraram referências ao sítio de Atibaia, atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, nos sistemas utilizados pela Odebrecht para distribuir propina. A força-tarefa da Lava-Jato vasculhou 11 discos rígidos e dois pendrives com o conteúdo do chamado Setor de Operações Estruturadas, usado pela empreiteira para organizar as contribuições ilícitas. Segundo a revista Veja, a PF diz ter analisado 1,9 milhão de arquivos. Destes, 842 apresentaram sinais de adulteração. Dessa forma, 99,9% do conteúdo é íntegro.“Não foram encontradas, no contexto da ação penal, até a data de emissão deste laudo, nas pesquisas efetuadas no material examinado (Sistema Drousys e Sistema MyWebDay, utilizados pela Odebreacht), documentos ou lançamentos que façam referências a termos tais como Atibaia, Sítio e Santa Bárbara”, escreveram os peritos que acompanham o caso.

Notícias relacionadas
Réveillon 2017: MP-BA vai comparar custo de festa com gastos com saúde e educação
Pa

Share