Eduardo Bolsonaro é notificado pelo STF para responder denúncia de ameaça


Segundo a PGR, deputado federal fez ameaças à jornalista Patrícia Lelis por meio do Telegram
Redação

Notificado na última terça-feira (30) pelo Supremo Tribunal Federal (STF) para responder à denúncia pelo crime de ameaça a uma jornalista, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) terá 15 dias, ou seja, até 14 de novembro para responder, de acordo com o G1.

O parlamentar foi denunciado em abril deste ano pela Procuradoria Geral da República (PGR) por ameaças por meio de um aplicativo de celular – Telegram – à jornalista Patrícia Lelis, que trabalhava no PSC, antigo partido do deputado.

Na peça, a procuradora-geral Raquel Dodge acusa o filho do presidente eleito Jair Bolsonaro de ameaça por palavra ou gesto, que prevê prisão de um a seis meses, por ser considerado um crime de menor potencial ofensivo.

A chefe da PGR fez ainda uma proposta de transação penal, um tipo de acordo, que prevê multa de R$ 50 mil a ser paga para a jornalista por danos morais; pagamento mensal de 25% do salário de deputado, por um ano, ao Núcleo de Atendimento às famílias e aos autores de violência doméstica; e prestação de serviços à comunidade por 120 horas, em um ano, na instituição Recomeçar – Associação de Mulheres Mastectomizadas de Brasília.

Na denúncia, Dodge afirmou que, conforme informações da jornalista, em 14 de julho de 2017, Eduardo Bolsonaro postou no Facebook que namorava com ela, o que foi negado por Patrícia.

Em função disso, segundo a procuradora-geral, Eduardo Bolsonaro teria trocado mensagens com a jornalista, ameaçando e proferindo “diversas palavras de baixo calão”.

Procurada, a defesa do parlamentar informou que só vai se manifestar no processo.

Share