Sábado, 17 de Abril de 2021 02:05
75 98846-8150
Saúde Pazuello articula ge

Pazuello articula gestão de crise da Covid-19 no Congresso à revelia de Bolsonaro

Pazuello articula gestão de crise da Covid-19 no Congresso à revelia de Bolsonaro

08/03/2021 17h38
149
Por: Rodrigo Mario Fonte: TARDE
Pazuello articula gestão de crise da Covid-19 no Congresso à revelia de Bolsonaro

Pazuello articula gestão de crise da Covid-19 no Congresso à revelia de Bolsonaro

O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, tem sinalizado com pedidos de ajuda a gestores no combate à Covid-19. Após dez meses de submissão à cartilha bolsonarista e agora sob investigação, Pazuello não vê outra opção à mesa diante da omissão e nagacionismo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).A costura tem sido feita nos bastidores e com cuidado para não provocar a ira de BolsonaroFoto: Divulgação | Carolina Antunes

Segundo o painel Folhapress, articula-se em Brasília um arranjo para colocar a cúpula do Congresso no comando do combate à crise da Covid-19, com o respaldo de governadores e até a participação do próprio ministro da Saúde. A costura tem sido feita nos bastidores e com cuidado para não provocar a ira do presidente.

A articulação envolvendo o Congresso parte de dois entendimentos em meio ao colapso nacional da saúde. Primeiro, os governadores querem evitar o desgaste de atuar sozinhos no pico da pandemia. Segundo, a polarização de Bolsonaro com eles chegou a um ponto em que a única forma de ter uma ação nacional é com o Legislativo junto.

Aliados de Arthur Lira (PP-AL) e Rodrigo Pacheco (DEM-MG) tentam tratar o assunto como uma pacificação entre os Poderes e não como um atropelo ao governo federal. O discurso é que Bolsonaro está ciente que deve agir e uma participação do ministério mostrará esse comprometimento.

O plano é que um grupo criado por Lira com governadores na semana passada concentre as principais ações do país contra o avanço da Covid-19, coordenando a atuação do ministério e esvaziando as ordens negacionistas de Bolsonaro. A ideia é colocar mais pessoas nesse comitê, como secretários de saúde, parlamentares, especialistas, médicos. O Supremo foi procurado para dar apoio à iniciativa.

Os principais pontos a serem comandados: fabricação e compra de vacinas, leitos de UTI, equipamentos suficientes para hospitais, e medidas de restrição para frear a transmissão.

Depois de quase dez meses obedecendo todas as diretrizes do presidente, Pazuello passou a indicar a gestores nos últimos dias que não consegue tomar as medidas que lhe são cobradas por não ter respaldo no Palácio do Planalto.

Apesar de políticos criticarem a atuação do ministro e o chamarem de incompetente nos bastidores, a leitura é a de que não é possível tirá-lo agora nem tirar a pasta da linha de frente do combate à pandemia, inclusive por questões legais (assinatura de documentos, divisão de dinheiro, etc).

Para pessoas que falaram com o general nos últimos dias, a impressão é a de que a sinalização dele agora é reflexo da preocupação com a investigação de que é alvo em meio ao crescente número de mortes, que não para de bater recordes.

As informações são do jornal Folha de S. Paulo

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Valença - BA
Atualizado às 01h55 - Fonte: Climatempo
22°
Poucas nuvens

Mín. 22° Máx. 31°

22° Sensação
1 km/h Vento
96% Umidade do ar
90% (5mm) Chance de chuva
Amanhã (18/04)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 25° Máx. 31°

Sol e Chuva
Segunda (19/04)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 24° Máx. 31°

Sol e Chuva