Saturday, 13 de August de 2022 06:00
75 98846-8150
Brasil Guedes entra em camp

Guedes entra em campo para tentar reverter decisão de Moraes sobre ICMS

Guedes entra em campo para tentar reverter decisão de Moraes sobre ICMS

03/08/2022 20h04 Atualizada há 1 semana
78
Por: Rodrigo Mario Fonte: uol
Guedes entra em campo para tentar reverter decisão de Moraes sobre ICMS

 

REPORTAGEM
 

Guedes entra em campo para tentar reverter decisão de Moraes sobre ICMS

 
Paulo Guedes - Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil
Paulo GuedesImagem: Fabio Rodrigues Pozzeb

O antagonismo do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao ministro do STF Alexandre de Moraes, na avaliação de integrantes do governo, tem potencial para criar problemas econômicos para o país.

Em decisões liminares recentes, Moraes autorizou o estado de São Paulo a compensar perdas de arrecadação com o teto do ICMS para a gasolina, energia elétrica e comunicações, aprovado pelo Congresso. Moraes também permitiu a suspensão de dívidas do Maranhão e do Piauí em agosto.

PUBLICIDADE

 

 

Diante das decisões, segundo apurou a coluna, o próprio ministro da Economia, Paulo Guedes, decidiu entrar em campo e procurar alguns membros do Judiciário para alertar para o risco de uma "desorganização do regime fiscal".

A avaliação de integrantes do governo é que os governadores - ao questionarem a queda de receita no STF - acabaram criando uma "armadilha política" para o STF. Segundo fontes da equipe econômica, esses estados (com destaque para o Maranhão) fazem oposição ao governo do presidente Bolsonaro e não estariam com problemas de caixa.

Com isso, para essas fontes do governo, com as decisões favoráveis a esses estados, Moraes estaria reforçando a narrativa de "perseguição" que Bolsonaro costuma repetir.

Nos argumentos da equipe econômica, o Maranhão, por exemplo, registrou um aumento de 78,5% acima da inflação na arrecadação de receita de ICMS, entre junho de 2021 e 2022. O estado, por sua vez, afirma na ação que sofrerá perdas de receitas de R$ 291,5 mil apenas em julho e que o montante pode alcançar no fim do ano o total de R$ 3,49 bilhões.

Fontes da pasta de Guedes reclamam ainda do aumento a servidores que alguns desses estados, como São Paulo, por exemplo, concederam. Segundo uma fonte, esses estados que foram até o STF não precisariam de compensação pela redução do ICMS.

Os estados alegam perdas de arrecadação com a sanção da lei que fixa um teto de 17% ou 18% para as alíquotas de ICMS que incidem sobre itens que passaram a ser considerados essenciais. Além disso, afirmam que a lei aprovada pelo Congresso inclui um gatilho que permite aos estados abater dívidas com a União, caso as medidas levem a uma queda maior que 5% na arrecadação total com o ICMS.

Sem previsão de Plenário

Em meados de julho, o ministro Gilmar Mendes determinou a criação de uma Comissão Especial para tentar encontrar uma solução entre União e estados em relação ao ICMS.

Segundo apurou a coluna, no entanto, os trabalhos ainda não avançaram muito e não há nenhuma previsão de quando o caso será levado ao Plenário da Corte.

Fontes do STF rechaçam o argumento de perseguição a Bolsonaro com as decisões de Moraes e dizem que a avaliação da equipe econômica é "incompleta", já que a arrecadação dos estados é compartilhada com os municípios e ainda precisa ir para áreas como saúde e educação.

Mesmo com a tentativa de Guedes de tentar sensibilizar os ministros, especialmente Moraes, a avaliação feita no STF é que o governo vai acabar apostando as fichas agora em derrubar a medida no Plenário. Repetindo que não há previsão para que isso seja apreciado pelos ministros, ainda.

Outros ministros 'bombeiros'

Além de Guedes, conforme mostrou o UOL, outros ministros do governo têm atuado para tentar refazer as pontes com o Judiciário.

Mesmo com os ataques frequentes do presidente Bolsonaro contra o STF e o TSE (Tribunal Superior Eleitoral), os ministros Ciro Nogueira (Casa Civil), Fabio Faria (Comunicações) e Bruno Bianco (Advogado-geral da União) já procuraram Moraes nos últimos dias para tentar arrefecer a crise.

Apesar dos esforços dos ministros em minimizar por exemplo, o risco de algum incidente institucional no dia 7 de setembro, os magistrados não se

Nenhum comentário
500 caracteres restantes.
Comentar
Mostrar mais comentários
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Valença - BA
Atualizado às 05h44 - Fonte: Climatempo
22°
Chuva

Mín. 22° Máx. 27°

22° Sensação
10.9 km/h Vento
96.4% Umidade do ar
90% (25mm) Chance de chuva
Amanhã (14/08)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 21° Máx. 27°

Sol com muitas nuvens e chuva
Monday (15/08)
Madrugada
Manhã
Tarde
Noite

Mín. 20° Máx. 26°

Sol com muitas nuvens e chuva