A GENTE NA ESCOLA PRESENTE
BAHIA DE MAOS DADAS
LARANJA
Fevereiro laranja
BAHIA SEM FOME
POLITICA

morre-aos-39-anos-a-deputada-federal-e-dirigente-do-pl-amalia-barros/

morre aos39-anos-a-deputada-federal-e-dirigente-do-pl-amalia-barros/

13/05/2024 16h32
Por: Rodrigo Mario

Morreu na noite de sábado (11) a deputada federal Amália Barros, do PL do Mato Grosso. O comunicado foi feito por Jair Bolsonaro em WhatsApp enviado a aliados na madrugada de domingo. A informação é do colunista do Metrópoles Paulo Cappelli.

“Com muita dor, informo o passamento da nossa amiga e irmã deputada Amália Barros, de Mato Grosso. Deus, em sua infinita bondade, a receba e conforte seus familiares e amigos”, escreveu o ex-presidente. A parlamentar era muito próxima de Michelle Bolsonaro e ocupava a vice-presidência do PL Mulher.

Cappelli aponta que Amália Barros foi internada em estado grave na UTI do hospital Vila Nova Star, em São Paulo. Na última quinta-feira (09), a deputada passou por um novo procedimento cirúrgico de “radiointervenção”, que é basicamente uma operação minimamente invasiva com o auxílio de imagem, agulhas e cateteres. O último boletim médico divulgado na sexta-feira (10) já informava que a parlamentar seguia sem previsão de alta.

O Metrópoles destaca que Amália Barros estava internada desde 1º de maio, quando foi ao hospital fazer a retirada de um nódulo no pâncreas. No dia 2, a deputada fez o procedimento de drenagem das vias biliares, para retirar o líquido biliar em excesso do fígado. A transferência de Amália para a UTI se deu depois de uma “reabordagem cirúrgica”.

Eleita com o apoio de Michelle para seu primeiro mandato em 2022, a deputada era muito próxima da família Bolsonaro. Na maioria das vezes em que o ex-presidente ia para o Mato Grosso, ele costumava passar alguns dias no rancho de propriedade de Amália. Ela era casada com o empresário e influenciador Thiago Boava. A morte da parlamentar também foi lamentada por políticos como o governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, e o senador Flávio Bolsonaro, acrescenta Cappelli.

Amália Barros perdeu a visão do olho esquerdo aos 20 anos, após uma infecção por toxoplasmose. Ela se submeteu a 15 cirurgias, mas em 2016 precisou remover o olho e passou a usar um globo ocular. Em 2019, foi protocolado no Congresso Nacional um projeto de lei intitulado “Lei Amália Barros”.

O PL conferia a portadores de visão monocular os mesmos direitos e benefícios das pessoas com deficiência. Aprovado na Câmara e no Senado, o texto foi sancionado pelo então presidente Bolsonaro em março de 2021 e alterou o Estatuto da Pessoa com Deficiência. Amália Barros lutou pelo projeto e, em 2022, elegeu-se deputada federal com 70 mil votos, tendo o apoio de Michelle Bolsonaro. No parlamento, ela destinava especial atenção às pautas de inclusão.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
Radio Clube Am
MixDelivery
Conect
Mobilapp
Radio Clube Am
Municípios
Radio Clube Am
Salão
MedLab
Últimas notícias
Anúncio
Mais lidas
MixDelivery
MixDelivery